PicNic… PicMe


Bolinha de queijo
May 30, 2010, 9:17 am
Filed under: Salgado, Uncategorized

Pra mim, a melhor coisa de festa de criança são os salgadinhos, proibidos para os adultos como vilões da saúde ou por qualquer outro motivo que faz com que os educados (que se sentem culpados) recusem as frituras quando oferecidas.

Então, para os adultos, inventaram uma maneira de comer os mesmos petiscos de forma permitida: no buteco. Afinal, sentados à volta de uma mesa de bar, jogando conversa fora e tomando uma cerveja, qual seria o acompanhamento perfeito? Sim, batatas fritas, bolinho de bacalhau, isca de carne com molhos gordos, polenta frita e por aí vai!

Eu não tomo cerveja e muuuuuuito raramente me sento à volta de uma mesa de bar, por isso faço em casa mesmo e como sem culpa. Afinal, a combinação cerveja (ou qualquer outro alcóolico) + comidinhas de botequim = duas vezes mais gordo! Mas tudo pra ter uma desculpa social e poder voltar a se deliciar com os petiscos da infância.

Já fiz algumas vezes essa massa com recheios diferentes, e todas as rodadas forma devoradas e deixaram aquela sensação maravilhosa de conforto e felicidade! A última delas foi para a despedida do casal SalMatsu, que nos visitou e deixou saudades…

Afinal, uma friturinha de vez em nunca não faz mal a ninguém!

Receita de bolinha de queijo:

Massa:

(adaptada daqui, rende cerca de 40 unidades)

50g de manteiga

1 col. de chá de azeite

100ml de leite

235ml de água

1 tablete de caldo de legumes (se tiver seu próprio caldo de legumes, é só substituir pela água e excluir o tablete!) (usei o orgânico da Knorr)

2/3 de xícara de batata cozida espremida (tipo purê) (a minha preferida é a batata Asterix)

150g de farinha de trigo

salsinha

sal

Para empanar:

1 clara de ovo

1/2 xícara de leite

1 xícara de farinha de rosca  (pão ralado em Portugal)

Preparo:

Leve ao fogo médio uma panela e coloque a manteiga e o caldo de legumes até derreter. Adicione o azeite, o leite, a água, a salsinha, o sal e a batata. Misture e deixe até levantar fervura.

Adicione a farinha de trigo, misturando bem até que a massa se torne lisa e brilhante. Desligue o fogo.

Coloque a massa em uma bancada para esfriar a ponto de poder ser manuseada. Pegue uma porção da massa, faça uma bolinha e então, com a palma da mão, abra discos e coloque no centro uma porção do recheio. Feche o disco até se formar uma bolinha novamente. Repita a operação até acabar a massa.

Em um potinho, coloque a clara e o leite. Em outro, a farinha de rosca. Passe as bolinhas uma a uma primeiro pela mistura de clara e depois pela farinha de rosca.

Frite por imersão até que as bolinhas fiquem douradas, deixe sobre papel toalha para absorver o excesso de óleo e então sirva acompanhado de molhos da sua preferência.

Ps: Use óleo limpo, são os resíduos das frituras antigas que fazem mal. Recicle o óleo, não jogue na pia! Alguns supermercados recebem o óleo já usado para encaminhar para reciclagem.

Recheio:

Fiz vários diferentes, incluindo de carne e frango, mas as de queijo são as mais fáceis e eu adoro!

Percebi que o recheio tem que ficar bem temperado mesmo, um pouco forte quando provado sozinho, pois quando vai no bolinho o sabor fica mais suave. O mais evidente foi o de frango, mas acho que vale pra todos!

Dessa última vez, misturei creamcheese de ervas finas com queijo mussarela ralada grosso, ficou bem gostoso e super prático.

Das outras vezes fiz molho bechamel com queijo emmenthal e tomilho limão.



Pão-Bolo
May 29, 2010, 4:54 pm
Filed under: Salgado, Uncategorized

Típico das festas populares de Portugal, que se iniciam em Junho e correm até meados de Agosto, este pão meio bolo, bolo meio pão recheado de chouriço e fiambre (presunto, em SP) é delicioso para um lanche, acompanhar uma refeição ou beliscar durante um assalto à cozinha!

Achei essa receita em um livro sobre a gastronomia portuguesa que aluguei na biblioteca de Oeiras. Aluguei especialmente pra fazer uma sopa que a Fer me pediu. Ele ficou comigo mais de um mês, folheei suas receitas diversas vezes, mas sem escolher nenhuma. Tenho um sério problema com livros de receitas. Tenho sempre a sensação que eles vão me enganar e que vou me frustrar com as receitas, que penso sempre terem o tal ingrediente mágico omitido da impressão. Devo ter tido alguma má experiência que nem me recordo para ter esse “trauma”.

Bem, chegou a hora de devolver e eu acabei por anotar 3 receitas pra protelar ainda mais a oportunidade de testá-las. A sopa para a Fer, o pão de chouriço e o doce de ovos Sericaia.

Mas nada me tirava daquele estado de dúvida e me empurrava para a cozinha. Até ver um post da Fernanda do Chucrute com Salsicha mostrando o tal livro em detalhes e da felicidade dela em ter mais um livro da Tessa Kiros e tal. Foi o empurrão na bicicleta que eu precisava para perder o medo de andar!

Lá fui eu em direção a essa delícia. Substitui o chouriço e o fiambre por bacon e salame, por ser o que tinha em casa! Ainda to devendo a sopa pra Fer, mas acho que tô no caminho!!

Pão de Chouriço

(adaptado do livro Sabores e Cozinha, ao encontro de Portugal. Tessa Kiros)

Ingredientes:

5 ovos

100g de manteiga derretida e fria

5 col. de sopa de azeite

185 ml de leite

310g de farinha de trigo

2 col. de chá de fermento químico

1/2 col. de chá de sal

100g de salame fatiado (eu fiz em tirinhas)

100g de bacon em cubinhos

Preparo:

Em uma frigideira com anti-aderente, coloque o bacon e leve ao fogo médio, mexendo sempre até que esteja crocante. Reserve.

Aqueça o forno a 200ºC e unte uma forma com um furo no meio com manteiga e farinha de trigo.

Misture a farinha de trigo com o sal e o fermento. Reserve.

Bata os ovos, usando uma batedeira, até ficarem fofos e cremosos.

Adicione a manteiga derretida e o azeite, mexendo bem.

Adicione o leite e a mistura de farinha à mistura de ovos em porções alternadas (leite, farinha, leite, farinha….). Adicione o salame e o bacon.

Derrame a mistura na forma e leve ao forno por cerca de 25 minutos, até que um palito inserido no centro do pão saia limpo.

….

Fiambre (Portugal) = Presunto (Brasil)

Presunto (Portugal) = Presunto Crú (Brasil)

Chouriço é um tipo de embutido.



Suvetiiii!!!!!!!
May 26, 2010, 12:13 pm
Filed under: Doce, Uncategorized

O sorvete do Santini é imbativel, mas o Ric tava louco pra tomar milkshake. Por isso arrumei uma receita de sorvete de chocolate que não precisa de sorveteira!

Como nunca tinha feito sorvete sem sorveteira, fiquei com algumas dúvidas durante o processo, que foram esclarecidas em tempo real pela dona do blog de onde peguei a receita, a Ana, que também tem o Formspring, um lugar onde postamos as perguntas e ela responde! Incrível, né?

O sorvete ficou com a consistência perfeita, só meio salgado, pois a receita tava com a medida trocada de sal, que ela já arrumou lá! Mas o Ric AMOU como milkshake (vai entender!).

Tô pra fazer outra leva com a quantidade certa de sal, mas ainda não deu. Mas certeza que vai ficar maravilhosa! Essa receita é de meio litro. Normalmente as receitas são de um litro, mas essa medida foi ótima pra um casal!


Receita de sorvete de chocolate sem sorveteira:

(quase nada adaptado daqui)

Ingredientes:

70g de chocolate meio-amargo picado (de qualidade!!!!!)

30g de chocolate ao leite picado (de qualidade!!!!!)

3 gemas de ovo

1 xícara de açúcar cristal baunilhado (o meu açúcar cristal fica guardado em um pote de vidro com as favas de baunilhas já usadas!!! Isso é açúcar baunilhado.)

1/4 de xícara de creme de leite fresco (em Portugal = Natas frescas para bater)

1/8 de colher de chá de sal (essa já é a medida correta de sal. Ele serve só pra ajudar a não criar muitos cristais de gelo no sorvete!)

Preparo:

Em banho-maria, derreta os chocolates e então deixe esfriar por 5 minutos.

Bata as gemas e o açúcar com uma batedeira até ficar homogêneo (ele fica granulado mesmo) e então, ainda batendo, adicione o chocolate e bata até ficar homogêneo. Reserve.

Em uma panela, coloque o creme de leite e leve ao fogo baixo até criar aquelas bolhas pequeninas nas laterais.

Adicione 1/4 do creme de leite à mistura de chocolate, sempre batendo. Devolva a mistura de chocolate à panela e volte ao fogo baixo até engrossar o suficiente para que, quando nas costas de uma colher, você passe o dedo no creme e esse não escorra (cerca de 5 minutos).

(ela sugere que se passe a mistura por uma peneira, mas como eu não tinha, eu não passei e deu tudo certo mesmo assim! Fica a critério de cada um)

Transfira o creme para o pote de sorvete (pode ser um antigo de sorvete industrializado ou qualquer similar que possa ir pro congelador), adicione o sal e misture bem. Tampe e leve para a geladeira até esfriar completamente (o meu demorou umas 2 horas!) e então passe para o freezer.

Depois de uma hora, tire do freezer e bata com a batedeira para quebrar os cristais de gelo que vão se formando (ainda vai estar beeeem líquido, tá tudo certo!). Repita o processo por mais três vezes, de hora em hora (a cada vez a textura vai ficando mais firme e com mais cara de sorvete!).

Tcharammmmmm, sorvete feito em casa para um dia quente com seu amor!



Devil Dog Cake
May 19, 2010, 2:38 pm
Filed under: Doce, Uncategorized

Porque bolo de chocolate nunca é demais e sempre é perfeito.

Receita:

Bolo (quase nadica adaptado daqui – Site da Revista Gourmet):

Ingredientes:

2 xícaras de farinha de trigo

3/4 de xícara de cacau em pó (not-dutch-process – Tem uma ótima explicação do que isso significa aqui do David Lebovitz)

1 e 1/4 de col. de chá de bicarbonato de sódio

3/4 de col. de chá de sal

240g de manteiga sem sal em temperatura ambiente

1 e 1/2 xícara de açúcar packed dark brown (que eu falei aqui. Ouvi dizer que dá pra trocar pelo Demerara, mas nunca testei)

2 ovos grandes

1 col. de chá de extrato de baunilha (eu omiti por não ter encontrado um de boa qualidade!)

1 e 1/3 xícara de água

Preparo:

Unte com manteiga e farinha uma forma redonda de 20cm x 5cm. Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Em um recipiente, junte a farinha de trigo, o cacau, o bicarbonato de sódio e o sal. Peneire ou misture tudo com um batedor de aro (fouet). Reserve.

Usando uma batedeira, bata a manteiga e o açúcar até que fique fofo. Adicione os ovos um a um, batendo bem a cada adição. Adicione a baunilha e bata até incorporar.

Adicione aos poucos a mistura de farinha e a água alternadamente à mistura de manteiga, batendo somente até incorporar. Inicie e termine o processo com a farinha.

Derrame a mistura (ela estará mais firme que o normal de uma massa de bolo) sobre a forma e espalhe para que fique uniforme.

Leve ao forno por cerca de 40-50 minutos. Ele estará pronto quando um palito de madeira for inserido no centro do bolo e sair limpo.

Deixe esfriar por alguns minutos na forma, então desenforme em uma grelha para esfriar completamente.

Cobertura de Buttercream:

(não me lembro da onde peguei essa receita, eu suspeito que seja da Martha Stewart, mas não encontro de jeito nenhum!)

120g de manteiga sem sal à temperatura ambiente

3 xícaras de açúcar impalpável (icing sugar)

1/2 xícara de leite

1/2 col. de chá de extrato de baunilha

Preparo:

Usando uma batedeira (aros), bata a manteiga e o açúcar, adicionando aos poucos o leite até acertar a textura desejada (mais leite = mais mole, menos leite = mais firme!). Adicione a baunilha somente até incorporar.

Cubra o bolo. Costumo usar também como cobertura de cupcakes e, se quiser mudar a cor, é só adicionar umas gotinhas de corante alimentício!



Crêpe
May 18, 2010, 12:46 pm
Filed under: Salgado, Uncategorized

Minha comida favorita no mundo: Crepe.

Nem sei se já contei que era uma das únicas coisas que a mamãe sabia fazer, e que sempre chamava a vovó pra ajudá-la a virá-las, e agora eu chamo as duas pra me ajudar!

Amo por ser comida de infância e de me lembrar tanto da cômica cena, Lena e eu sentadas em uma mini mesa pedindo por mais panquecas simples, parecíamos passarinhos no ninho chamando por mais comida!

Amo também por ser tão versátil e universal. Combina com tudo, tudo mesmo.

Essas foram feitas pra aproveitar as coisas da geladeira, mas ficaram tão boas que nem dava pra acreditar que foi no improviso. Aliás, acho que na hora do aperto sempre somos mais criativos!

Delícia. Delícia ver o copo meio cheio. Delícia.

Panquecas com Bechamel, tomate e cenouras:

Receita das panquecas (uma mistura de muitas da minha cabeça!)

(rendimento: cerca de 10 unidades de 17cm):

1 xícara de farinha de trigo peneirada

sal a gosto

1/2 col. de chá de fermento químico

1 ovo

250ml de leite

50ml de óleo

Preparo:

Bata tudo com um mixer ou liquidificador. Em uma frigideira untada com um fio de óleo, derrame uma concha pequena da mistura e espalhe por toda a frigideira. Repita o processo até acabar a massa.

Recheio (rendimento: 5 panquecas):

Bechamel:

10g de manteiga

10g de farinha de trigo

200ml de leite gelado

sal

noz moscada

1 tomate picado

1 cenoura ralada

5 g de manteiga

sal

orégano

Preparo:

Bechamel:

Em uma panela, coloque a manteiga e a farinha e leve ao fogo médio/baixo mexendo sempre até que a farinha esteja cozida e ainda tenha uma cor clara. Adicione o leite frio e misture constantemente para evitar a formação de grumos. Mexa até que engrosse e então adicione o sal a gosto e a noz moscada. Reserve.

Em uma frigideira coloque o tomate picado e a cenoura ralada com a manteiga, sal a gosto e orégano. Refogue por alguns minutos e então adicione ao bechamel.

Finalizar:

Recheie as panquecas com o creme e sirva quente. Hmmmmmmmmmmm!



May 6, 2010, 11:21 am
Filed under: Diversos, Uncategorized

Ela me deu mais que uma bolsa especial. Ela me deu fé. Por isso achei perfeita a escolha da no nome da sua marca.

Pra agradecer esses presentes inestimáveis, fiz um caderninho e um carimbo com o desenho (tentativa!) da bolsa que ganhei.

Usei o tutorial do SuperZiper para fazer o caderninho, mas achei as amarrações meio fracas, por isso dei mais umas voltinhas da minha cabeça. Não encapei com tecido, só usei um tipo de cartolina mais firme.

E o carimbo fiz do mesmo jeito de sempre, só que usando as ferramentas novas!

Para o cartão, fiz um Tsuru e escrevi dentro dele minha mensagem.



Calda de Caramelo
May 5, 2010, 8:14 pm
Filed under: Doce, Uncategorized

Sempre fui do contra. Sempre arrumei discussão. Sempre quis diferente.

E foi assim com sorvete. Toda criança queria sorvete de palito ou quando aceitava o de massa tinha que ter quilos de cobertura. Eu sempre quis o de massa, na casquinha e não na taça, sem cobertura por favor.

Fiz essa cobertura de caramelo por pura curiosidade e por que pra fazer um belo milkshake tem que ter aquela caldinha dourada marcada no copo, né?

Foi uma boa surpresa e o Ric, que faz parte das crianças que comem mais calda do que sorvete, adorou a minha aventura!

Melhor de tudo é que é feito por você, com poucos ingredientes, rapidinho e sem mil conservantes e corantes maléficos!

Calda de Caramelo:

(original daqui com fotos ótimas do processo!)

Ingredientes:

1/2 xícara de água

1 xícara de açúcar

80 g de manteiga

1/2 xícara de creme de leite fresco (natas frescas)

Preparo:

Em uma panela, coloque a água e o açúcar*, leve ao fogo médio e mexa constantemente com um batedor de aro (fouet) ou com uma colher de pau até levantar fervura, daí em diante NÃO mexa mais. Deixe todo o açúcar derreter e ficar com um tom âmbar/caramelo.

Adicione a manteiga à panela e misture com o batedor de aro até que a manteiga esteja derretida.

Tire a panela do fogo e espere alguns segundos (+ ou – 5) e adicione o creme de leite aos poucos, sempre batendo com o batedor de aro, até incorporar. O caramelo irá aumentar de volume.

Espere esfriar um pouco e então coloque em um recipiente hermético.

* Essa receita com água é para o caso de se utilizar uma panela com fundo fino e isso tornará o processo mais longo, mas o resultado será o mesmo. Caso tenha uma panela de fundo grosso, pode omitir a água da receita!

Cuidado com o caramelo, ele é bem mais quente que água fervendo!!!!

Tenha tudo preparado pertinho de você, o açúcar não espera ninguém! Qualquer descuido e ele queima…

De início a calda será bem líquida, mas quando esfriar, ganha consistência e textura mais encorpada!