PicNic… PicMe


traço solto
March 25, 2010, 8:23 pm
Filed under: Uncategorized

A mamãe era artista plástica e pra mim ela sempre foi assim, mas um dia descobri que foi sem querer que ela descobriu que era uma.

Foi a Dra. Maria Lúcia (psicóloga amada tanto da mamãe quanto minha) que me disse que ela chegou pra uma consulta e reclamou que suas mãos formigavam, mas era parte do processo de dormência, era como se estivesse passando uma corrente elétrica em suas palmas, que ficavam quentes e vermelhas.

A Dra. pôs em suas mãos o barro e delas saíram esculturas e a energia que estava dando aquela sensação tão estranha.

Pra mim, a mamãe sempre foi artista, não só pelo fato de só me lembrar dela assim, mas também por ser a realidade em toda sua família. Minha avó desenhava orientais, meus tios tem todos os dons possíveis com as artes, e logo ela não tinha explorado nada disso antes de sentir esse tal formigamento nas palmas.

Eu só soube dessa história depois dela ter morrido e simplesmente por ter entrado naquela mesma sala de consultório que ela um dia esteve e ter reclamado para a mesma psicóloga que minhas mãos formigavam e ficavam quentes.

Eu não tenho o mesmo dom que ela ou minha avó ou os meus tios e primos. Pra mim, o dom do traço solto é como um rio que corre pelas gerações, formando rios adjacentes, alguns mais rasos, alguns mais profundos, alguns mais estreitos e outros mais largos. Eu tenho uma perninha desse rio, talvez um raso e largo, faço de tudo mas não tão extradordinariamente quanto outros desta mesma família.

Sou feliz por ter dessas águas em mim, e pra mim o que tenho é suficiente para fazer minhas mãos desanuviarem a energia e os formigamentos passarem.

Sou feliz porque aprendi que o sol pode ser da cor que eu quiser no meu trabalho, o sol é meu, segundo a mamãe.

HechoAhora


3 Comments so far
Leave a comment

Emocionante! Depois lhe escrevo mais sobre isto. Só um comentário breve: “faço de tudo mas não tão extradordinariamente quanto outros desta mesma família.” Marina, o extraordinário é subjetivo. Coisa que eu nunca aprendi na vida e lamento profundamente: a gente tem que ser extraordinário para a gente mesmo. Aliás, você é extraordinária em muitissimas coisas, também para muita gente, inclusive e principalmente para mim. Beijos e continue com o seu sol do jeito e da cor que você achar que eles devem ter. Eu amo você, extraordinariamente.

Comment by Bianca

Mazinha morro de orgulho de você, por todas as suas inúmeras qualidades artísticas e outras gastronômicas e outras afetivas e outras de caráter e muitas mais que não cabe aqui! Você é maravilhosa! Continue desenvolvendo todas suas experiências. o único problema é que eu fico morrendo de vontade de estar aí com você pra ver e experimentar tudo que você cria. Beij~~ao da Sogrinha Angela

Comment by angela amado

Marina, não tinha notado que deixei de trocar o remetente. Obviamente o comentário foi meu e não da Bee! A Bianca teria dito: “eu quero aprender a desenhar com a Má!”

Comment by Papito




Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s



%d bloggers like this: